quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008















Com os cartões corporativos na ordem do dia, fiz esta charge como uma reflexão sobre como os homens de estado do nosso país conseguem fundir o jargão burocrático com o idioma falado no baixo clero da sociedade.

Um comentário:

Cícero disse...

Pô Lane, não pare de postar no seu blog. Tu é um crânio, não pode privar o mundo do seu humor inteligente. Abç